Saiba de onde vem o seu Tapete

“Podemos observar mudanças em todos os lugares do mundo, especialmente em relação à originalidade das criações. O mercado desafia o novo e o diferente. Essa é a alma do design.” Francesca Alzati, sócia-proprietária da by Kamy

A arte do tear evoluiu com a tecnologia e a criatividade, o que também contribuiu para agregar valores ao desafio de novas possibilidades. O tear é a nova tela em branco do artista, proporcionando o atrevimento no uso de cores acentuadas, nuances, texturas, efeitos, sombreamento, reprodução de imagens e tridimensionalidade.

O tapete normalmente se limita à beleza da composição e, para a by Kamy, existe uma necessidade de ir além: mostrar o que está por trás de suas linhas e estampas. Para isso, a by Kamy investe e vai atrás dos melhores produtores mundiais de tapetes para confeccionar os mais refinados produtos. O processo de criação das peças permite a incorporação de elementos abstratos inspirados no contemporâneo, na individualidade, no expressionismo e na vanguarda, assim como admite a influência do mundo em um senso coletivo. “O nostálgico e o contemporâneo se mesclam ao design das peças, que apresentam releituras culturais e interagem com o atual de forma singular”, diz Francesca.

Abaixo você verá um breve informativo sobre cada país e a influência de sua cultura e matéria-prima no desenvolvimento e criação dos tapetes.

Brasil – A mistura que dá certo

Considerado o maior país da América do Sul, o Brasil possui uma grande reserva de matéria-prima. A ginga brasileira muda o percurso da criatividade, desviando a ideia inicial em algo surpreendente. O resultado é sempre um produto rústico, despojado e único.

Índia – O Brasil do Oriente

Emocional e racional misturam-se em uma paisagem colorida. A familiaridade e a agilidade no desenvolvimento do produto faz da Índia um grande laboratório de experimentos e ideias. É preciso dosar a personalidade artística de cada artesão para padronizar as linhas.

Marrocos – Miscigenação atemporal

O tingimento natural do tapete evoca as cores dos desertos e a manufatura “arcaica” aumenta a autenticidade de cada peça. A antiga influência oriental é perceptível na geometria e nos grafismos dos desenhos. Por isso, estes tapetes são expressivos e marcantes.

Irã – A história da preciosidade

As produções do Irã são extremamente tradicionais. Quando se cria um novo produto neste país é preciso conhecê-lo profundamente para não ofender o artesão. O processo acontece de forma muito respeituosa - é como se as mulheres estivessem tecendo para um antigo rei da Pérsia.

Nepal – Fé, esperança e dedicação

País místico que respeita o natural, seu positivismo é expresso no próprio trabalho do artesão. O tapete nasce da matéria-prima orgânica, que é tingida naturalmente, respeitando uma delicada e cuidadosa “filatura”, que podemos interpretar como o ato de fazer, tecer o tapete.

China – Missão dada, missão cumprida

Considerada uma das civilizações mais antigas e tradicionais do mundo, a China de hoje é extremamente contemporânea e criativa. Cada produto é executado de forma impecável com minuciosidade e perfeição. Os tapetes são sempre de ponto finíssimo e cores marcantes.

Paquistão – O primeiro laboratório do Oriente

O país possui uma cultura que preserva as tradições estabelecidas ao longo da história. A sabedoria da tecitura e o tingimento conseguem agradar plenamente o gosto ocidental. O resultado é a criação de tapetes mais contemporâneos, com nuances em tom sobre tom.

Uzbequistão

Sua origem vem da mistura do folclore russo com as influências persas. A região é marcada pela grande produção de algodão que movimenta a economia com confecções de tapetes, mantas e almofadas. Os tapetes feitos pelos sábios tecelões são intensos - ricos em bordados, medalhões e desenhos geométricos.

Turquia - Exuberância e geometria com personalidade

Os tapetes turcos são muito expressivos, pois nascem da junção de vários pontos de vista. A mágica está na conciliação de tanta exuberância. A tecitura é caracterizada por arabescos e desenhos geométricos: tudo é estilizado dentro de um padrão ortogonal e os pontos são típicos e mais grossos.

França – Início do design europeu

As manufaturas reais fabricaram os primeiros tapetes europeus com design e mão de obra própria exclusivamente para a casa real que, depois, foi difundido para a burguesia. Até hoje a produção francesa é conhecida pela criação de tapetes e almofadas em tapeçaria.

Sri Lanka – Naturalmente industrial

País situado numa ilha agrícola do Oceano Índico, o Sri Lanka é famoso por sua vasta plantação de chá e grande produção de fibra de coco. O sistema de tecitura industrial fixa borracha nas fibras naturais.

Finlândia, Bélgica e Itália - Bom gosto e alta tecnologia

Até 1900 se valorizavam as pequenas produções artesanais locais que imitavam os desenhos orientais. Depois passou-se para a produção industrial de tapetes com motivos abstratos e estilizados. Especialistas em máquinas industriais têxteis, estes países desenvolveram uma tecnologia mundialmente renomada.

 

QUER SABER MAIS SOBRE A HISTÓRIA DO SEU TAPETE? CLIQUE AQUI E FALE COM UM DOS NOSSOS CONSULTORES.